Só a Energisa? Não! O buraco é maior | Noticias Tudo Aqui!

Só a Energisa? Não! O buraco é maior

Compartilhe:

 

Enquanto a Pandemia que varre o mundo avança entre nós, cobrando seu preço em vidas, órfãos e viúvas, a Assembleia Legislativa de Rondônia procura fôlego para decidir sobre o espinhoso refil de renúncia fiscal das grandes empresas de Rondônia proposto pelo governo do estado.

Esta semana, após o lockdowon imposto, o parlamento rondoniense deverá voltar a deliberar. E o refil proposto pelo governador Marcos Rocha, poderá ter, a qualquer momento, o desfecho esperado pela Energisa, beneficiários e outros interessados.

Todos os olhos só vêm a renúncia de R$ 1 bilhão e 300 milhões a ser dado à Energisa. De fato, para um estado com a receita em queda e uma Pandemia em alta, exigindo grandes e imediatos investimentos para conter a morte dos seus contribuintes, a simples ideia de renunciar a um crédito conscientemente assumida pelo devedor, é algo estranho e estarrecedor. Uma coisa que suscita todo tipo de desconfiança.

Mas isso é somente a ponta do iceberg. O que a proposta contem e não está chamando a atenção, é a parte oculta sob as águas da benesse com o chapéu do contribuinte. Talvez, se revele duas ou três vezes maior que a parte visível da Energisa: o perdão de dívidas das grandes empresas de Rondônia.

A extensão do Refis a este segmento empresarial, funciona como um disfarce ao benefício à Energisa, para parecer não ser a única atendida. Serve, também, às empresas mergulhadas em dívidas, e quase todas devem. Por pura velhacaria. Incluindo lógico, as falidas e as em recuperação judicial.

Neste caso, o próprio chefe da Casa Civil do governo e articulador da proposta, será diretamente beneficiado, através do alivio que a proposta dará à falida empresa da família. A partir desta constatação, todas as ilações são cabíveis.

Esta proposição, já deveria ter suscitado a desconfiança dos órgãos de controles que, na verdade, já podiam ter emitido nota de recomendação à Assembleia Legislativa, do mesmo modo como fizeram quando aquele Poder quis locar equipamentos e UTI’s, além comprar cestas básicas para ajudar a combater a Pandemia. Atitude simpática, embora imprópria.

Verdade que alguns parlamentares já se posicionaram contrária a esse derrame de dinheiro público. Mas a maioria permanece em silêncio. Já vimos isso antes. Ao final do jogo, a medida é aprovada. Todos ganham. Inclusive os fiscais. E garantem a tranquilidade da velhice.

Enquanto os poderes olharem o meio político como o caminho da fortuna, todos se locupletam da carga que o trabalhador carrega. Até mesmo, daquele ‘invisível’, da linha da miséria, que fica vendendo água ou pedindo nos semáforos da cidade.

Mas tudo pode mudar. Afinal, vivemos de escolhas.

Osmar Silva – Jornalista – Diretor e editor do notíciastudoqui.com – Presidente da Associação da Imprensa de Rondônia (AIRON) e da Federação Nacional dos Comunicadores Seccional Rondônia (FENACOM) – WhatsApp 69.99265.0362 – sr.osmasrsilva@gmail.com

 


 Comentários
Noticias da Semana
Dicas para te ajudar
TV Tudo Aqui