O coronavirus, o culpado e a falta de ação | Noticias Tudo Aqui!

O coronavirus, o culpado e a falta de ação

Compartilhe:
ColunistaOsmar Silva

A reunião virtual realizada entre alguns deputados e o governador Marcos Rocha e grande parte do seu secretariado hoje, não resultou em nada prático. A não o fato de ter deixado novo encontro agendado sem data definida. Ao contrário, se transformou em ‘Muro das Lamentações”.

De um lado, os parlamentares opinando sobre a abertura ou fechamento do comércio nos 22 municípios, por 14 dias, impactados pela recente portaria do estado, estabelecendo o isolamento restritivo de atividades não essenciais e afirmando que o comércio não tem culpa pelo aumento da Covid-19. Além, claro, de defenderem a abertura.

Do outro, o governador afirmando ser contra o fechamento do comércio e concordando que a atividade não é culpada da expansão da doença. E, óbvio, o titular da saúde aproveitou para pontuar que o governo tem agido corretamente e já têm 141 leitos de UTI’s instalados, pretendendo chegar a 165 proximamente.

Mas se as partes concordam que as atividades empresariais não têm culpa, quem é então o culpado pelos índices crescentes e preocupantes da pandemia no estado? Adivinhou, não? Se pensou no povo, pensou certo.

O povo é o culpado.

As partes foram unânimes em apontar o dedo para aquele ali e mais aquele lá. Principalmente para os festeiros e beberrões que teimam e não respeitar nada nem ninguém realizando coronafest’s em balneários, mansões, condomínios e chácaras. Além dos sem máscaras e sem noção que enchem as ruas e se aglomeram até nas portas das casas. Somos os culpados. E pronto!

Bom, agora que temos o culpado definido, o que fazer? 

Para o prefeito Hildon Chaves, além de fiscalizar o cumprimento das medidas postas nas normas municipal e estadual, é preciso o poder de polícia para pôr cobro nas condutas inadequadas de pessoas e empresas. Multar um, fechar a porta do outro e fazer Termo Circunstanciado junto à delegacia de polícia. Mas ele não tem polícia.

Já o governador Marcos Rocha tem todo o aparato da força policial repressiva do estado. Mas é contra usá-la neste caso. Já desdisse seu próprio decreto e até exonerou um comandante da Polícia Militar que se atreveu a dizer que ‘havia passado o tempo da conscientização’.

Na verdade, é aí que está o impasse.

Neste ano eleitoral, ninguém quer ficar ‘mau’ na foto ao pedir ou mandar a polícia fazer o trabalho para o qual lhes paga cada cidadão: defende-la coibindo condutas impróprias e prender, sim, prender, os que quebrarem as regras impostas pelo bem da maioria da própria sociedade.

Está faltando pulso de quem tem o dever de fazer.

É aí que está a culpa pela extensão da doença e de medidas paliativas que só espicham o problema, penalizando o empresário, o trabalhador, o próprio governo e a sociedade como um todo.

Se não houver uma ação enérgica já, os coronafest continuarão, assim como os ignorantes sem máscaras e os comerciantes gananciosos que querem é a loja cheia de gente comprando com ou sem máscaras e sem distanciamento.

Ou isso ou coronavirus em efeito onda. Um dia maior, outro menor. Até quando Deus quiser. No estado inteiro.  

Osmar Silva – Jornalista – Presidente da Federação Nacional dos

Comunicadores Seccional Rondônia e da Associação da Imprensa

de Rondônia – WhatsApp 69.99265.0362 –

sr.osmarsilva@gmail.com

 


 Comentários
Noticias da Semana
Dicas para te ajudar
TV Tudo Aqui